OMS desaconselha o uso de remdesivir

A Organização Mundial da Saúde (OMS) não aconselha remdesivir a doentes hospitalizados com covid-19, independentemente da sua condição de saúde.

 

Especialistas internacionais do Grupo de Desenvolvimento de Orientações da OMS indicam, na revista British Medical Journal, que não há provas suficientes de que o medicamento remdesivir melhore a sobrevivência ou a necessidade de ventilação dos doentes.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) desaconselha o uso deste fármaco, mas a Agência Europeia do Medicamento ainda não tomou a mesma posição.

O medicamento tem sido alvo de algumas polémicas mundiais devido a existência de vários estudos que se contradizem. Por um lado, alguns estudos dizem que o remdesivir pode ter um efeito positivo na recuperação dos doentes. Mas, por outro lado o estudo da OMS (o Solidarity) concluiu que este não reduz a mortalidade e não teve efeitos na ventilação nem no tempo de hospitalização.

Dada a possibilidade de grandes danos e o custo relativamente elevado associados ao remdesivir, que deve ser dado por via intravenosa, os peritos desaconselham assim a sua recomendação.